O que fazemos

“Pesquisar na fonte e devolver ao povo em forma de arte.” Solano Trindade

Conhecimento como cura!

Nossas ações se fundamentam no princípio de que conhecimentos podem promover curas. Acreditamos que a libertação e a cura física, mental, emocional e espiritual das opressões seculares se dá a partir do conhecimento de nossa ancestralidade, de nossos antepassados, de nossos anciãos, de nossa própria experiência e da garantia de existência das futuras gerações.

Nossas linhas de atuação

Linha Branquitude Crítica


As ações da  Linha Branquitude Crítica são desenvolvidas a partir de uma abordagem psicológica crítica e suleadora. Esta abordagem está fundamentada sobretudo em estudos latino-americanos e negro-africanos. A metodologia é inspirada no ideograma Sankofa, que tema o passado e as experiências comunais anteriores como referência para elaborar e agir no presente. As atividades desta linha buscam desenvolver uma análise crítica da branquitude enquanto fenômeno psico-emocional-social. Para tanto, toma como referência orientadora experiências culturais originárias. Enfocamos a necessidade de desenvolver cotidianamente a autocrítica em relação à branquitude imposta socialmente.

Para conhecer mais sobre nossas ações de Branquitude Crítica clique no título da linha.

Linha Psicologia Afrocentrada


As ações da Linha Psicologia Afrocentrada são desenvolvidas a partir de uma abordagem transdisciplinar crítica e de afrocentramento transnacional. Esta abordagem considera rica e necessária a complementariedade entre saberes e práticas tradicionais e saberes acadêmicos. Sendo ambos produzidos dentro de perspectivas negro-africanas em toda a diáspora. A metodologia é inspirada no ideograma Sankofa, que tema o passado e as experiências comunais anteriores como referência para elaborar e agir no presente. As atividades desta linha buscam difundir e desenvolver uma psicologia afrocentrada no Brasil e na Lusofonia. Enfocamos uma crítica à Psicologia hegemônica e seus instrumentos de colonização mental, mas sobretudo, estamos engajados na produção de processos educativos de libertação com vistas ao Bem Viver no Planeta.

MAIS INFORMAÇÕES A PARTIR DE JUNHO


“A autora, mesmo não sendo negra, foi capaz de se sensibilizar e se colocar a disposição deste debate com a humildade de quem inicia a crítica à hegemonia branca da Psicologia, que desconsidera práticas sociais, cultura, sofrimento, superações, combatividade de um grupo social não dominante, sobretudo em nosso país

Dra. Raquel Sousa Lobo Guzzo, Professora da Pós-graduação em Psicologia da PUC-Campinas.


Junt@s para a diversidade!

%d blogueiros gostam disto: