Publicações

Libertação, Descolonização e Africanização da Psicologia – Breve introdução à Psicologia Africana (2019)

Este livro traz uma crítica a hegemonia da Psicologia Euro-Americana e seus processos de dominação mental. Contextualiza histórica e politicamente os estudos africanos em Psicologia. Por fim apresenta bases filosóficas e epistemológicas da Psicologia Africana.

Relações Étnico-Raciais: educação e pertencimento (2014)

O capítulo apresenta três pesquisas produzidas dentro do quadro do NEAB/UFSCar. Uma sobre intelectuais negros produzida por Evaldo Oliveira. Outra sobre avaliação do SARESP, produzida por Rosana Túbero. E a última sobre a construção do pertencimento étnico-racial na prática da capoeira angola, produzida por Simone Gibran Nogueira.

Capoeira de Pastinha: análise do princípio cultural à luz da Psicologia Africana (2015)

O capítulo analisa os manuscritos de Mestre Pastinha como um tratado filosófico africano. Essa leitura culturalmente orientada é realizada a partir de conceitos chave da Psicologia Africana. Notório perceber o que significa “Ser um/a angoleiro/a” na perspectiva de Mestre Pastinha.

Ideologia da Supremacia Racial Branca: colonização e descolonização da Psicologia (2013)

Este artigo está em inglês. Ele apresenta como a ideologia da supremacia racial branca desumaniza e coloniza a mente de brancos e negros no Brasil. Para tanto, utilizo referências críticas sobre branquitude para destacar processos de desumanização em brancos; e lanço mão de referências críticas dos estudos negros e africanos para analisar processos de desumanização específicos da população negra. Além disso, o trabalho busca refletir sobre possibilidades de humanização e descolonização mental em ambos os grupos a partir de políticas de Ações Afirmativas atuais na área de Educação no Brasil.

Ciclo de Práticas Culturais Populares e Educação (2009)

O artigo descreve como foi idealizado e realizado o projeto de extensão universitária “Ciclo de Práticas Culturais Populares e Educação” na UFSCar. O projeto foi premiado pelo edital PROEXT Cultura 2009 (MINC e MEC). O grupo de capoeira angola, o de danças populares, e as comunidades de estudantes indígenas e africanos foram articulados em diversas atividades dentro e fora da universidade. O projeto durou cerca de 5 anos.

Processos Educativos da Capoeira Angola e Construção do Pertencimento Étnico-Racial (2008)

O mestrado buscou identificar contribuições da Capoeira Angola para a construção do pertencimento étnico-racial e para a superação de dificuldades em ambiente profissional majoritariamente branco, hostil e adverso aos negros(as), como o da universidade.

Psicólogas Brancas e Relações Étnico-Raciais: em busca de uma formação crítica sobre branquitude (2019)

Os estudos foram motivados pela lacuna na formação em Psicologia no que diz respeito às relações étnico-raciais. São discutidos os efeitos da branquitude na formação subjetiva e profissional, a partir de três eixos: 1) uma breve leitura histórica sobre a construção social da ideia de raças humanas e sua influência no pensamento psicológico brasileiro; 2) histórico sobre como a Psicologia se dedicou ao estudo das relações étnico-raciais no Brasil e 3) contribuições da Psicologia Crítica no estudo da branquitude.

Identidade Branquitude e Negritude (2014)

Este livro traz uma coletânea de artigos nacionais que foram selecionados a partir de um edital do CEERT. Ilustra avanços da Psicologia Social sobre relações étnico-raciais, 10 anos após a publicação do “Psicologia Social do Racismo”. Livro histórico e divisor de águas para Psicologia Brasileira.

Iê, camarás! Plano de Salvaguarda da Capoeira de Campinas (2019)

E-book gratuito que retrata a história do Coletivo de Salvaguarda da Capoeira de Campinas e como esse coletivo conquistou a lei municipal que torna a capoeira “patrimônio imaterial da cidade”. O trabalho descreve como o inventário participativo e o plano de salvaguarda do patrimônio da capoeira de Campinas foi construído comunitariamente entre diversos grupos de capoeira da cidade.

Psicologia Africana: diálogos com o Sul Global (2016)

O artigo busca localizar e colocar em diálogo a produção da Psicologia Africana dentro do contexto de produções científico-culturais do Sul Global. Neste caso, o diálogo é estabelecido entre perspectivas suleadoras de Ciências Humanas e Psicologia, são elas: Psicologia Crítica, Psicologia da Libertação Latino-Americana, Descolonização da Psicologia, Psicologia Indígena e Estudos Africanos. A revista é bilíngue, existe uma versão em inglês.

Uma Leitura Psicossocial e Crítica da Desumanização Eurocêntrica e Racista (2017)

O artigo aborda criticamente o eurocentrismo, o racismo, o projeto da sociedade moderna, a produção de conhecimentos que forja a colonização mental. Mais ainda, encaminha uma reflexão sobre a necessidade de práticas sociais que gerem processos educativos que desnaturalizem a inferioridade de não-brancos e promovam a descolonização mental. As análises estão voltadas para a realidade do sistema de Educação, educadores e psicólogos.

Psicologia Crítica Africana e Descolonização da Vida na Prática da Capoeira Angola (2013)

O doutorado teve dois objetivos centrais: o primeiro visou demonstrar e defender a coerência de utilizar perspectivas teóricas, epistemológicas e metodológicas culturalmente consistentes com a visão de mundo africana para analisar e produzir conhecimentos sistemáticos sobre a prática capoeira Angola. O segundo objetivo buscou produzir uma análise dessa prática social a partir das suas expressões culturais africanas com vistas a identificar o seu potencial enquanto uma práxis comunitária que pode promover descolonização mental e libertação pessoal e coletiva.

%d blogueiros gostam disto: